A ideia de escrever as histórias que ouvi de minha mãe surgiu quando ajudava a criar a minha primeira  neta, Gabriela. Comecei a contar para a menina as histórias que ouvi de minha mãe e percebi que nunca as havia contado para meus filhos.

     Minha mãe não trabalhava e se dedicava aos filhos e à casa. Assim como minhas irmãs, eu estudava e trabalhava enquanto criava os filhos. O mundo havia mudado muito da geração de minha mãe para a minha. Tive mais tempo para contar histórias  ao ajudar a criar a neta.

     Veio-me, então, a inspiração de preparar o livro para  reunir todas as historias que ouvi de minha mãe, a fim de prestar-lhe tributo de gratidão e de deixar registrada lembrança muito forte dela. 

     O entusiasmo pelo livro contagiou aos meus irmãos, que me incentivaram em meu propósito e, com alegria e carinho,  acrescentaram às historias detalhes e lembranças esmaecidas pelo tempo.

     Uma vez mais, a figura de nossa mãe uniu os filhos em torno das histórias que ela nos contava.

           Diva Lages Vidigal